Observatórios de tudo e mais alguma coisa

DIVULGUEM !!! ACTUEM!!!! A PACIÊNCIA ESGOTOU-SE !!!!
Com tanta dificuldade em cortar a despesa ( falar é fácil ….diz este
Governo que não queremos )  será que não conseguem dar uma GRANDE
LIMPEZA nesta lista….

Depois das fundações, tínhamos esquecido os observatórios…

  • Observatório do medicamentos e dos produtos da saúde
  • Observatório nacional de saúde
  • Observatório português dos sistemas de saúde
  • Observatório da doença e morbilidade (…se só para a saúde são 3 para a doença 1 é pouco!!!)
  • Observatório vida
  • Observatório do ordenamento do território
  • Observatório do comércio
  • Observatório da imigração
  • Observatório para os assuntos da família
  • Observatório permanente da juventude
  • Observatório nacional da droga e toxicodependência
  • Observatório europeu da droga e toxicodependência
  • Observatório geopolítico das drogas (…mais 3 !!!)
  • Observatório do ambiente
  • Observatório das ciências e tecnologias
  • Observatório do turismo
  • Observatório para a igualdade de oportunidades
  • Observatório da imprensa
  • Observatório das ciências e do ensino superior
  • Observatório dos estudantes do ensino superior
  • Observatório da comunicação
  • Observatório das actividades culturais
  • Observatório local da Guarda
  • Observatório de inserção profissional
  • Observatório do emprego e formação profissional (…???)
  • Observatório nacional dos recursos humanos
  • Observatório regional de Leiria(…o que é que esta gente fará ??)
  • Observatório sub-regional da Batalha (…deve observar o que o de Leiria deveria fazer ??)
  • Observatório permanente do ensino secundário
  • Observatório permanente da justiça
  • Observatório estatístico de Oeiras (…deve ser para observar o SATU !!!)
  • Observatório da criação de empresas
  • Observatório do emprego em Portugal  (…este é mesmo brincadeira !!!)
  • Observatório português para o desemprego  (…este deve ser para “espiar” o
  • anterior !!!)
  • Observatório Mcom
  • Observatório têxtil
  • Observatório da neologia do português (…importante para os acordos “Brasilaicos-Portuenses” e mudar a Estória deste Brasilogal !!!)
  • Observatório de segurança
  • Observatório do desenvolvimento do Alentejo (…este deve ser para criar o tal deserto do Sr. “jamé” !!!)
  • Observatório de cheias (…lol…lol…)
  • Observatório das secas (…boa…)
  • Observatório da sociedade de informação
  • Observatório da inovação e conhecimento
  • Observatório da qualidade dos serviços de informação e conhecimento(…mais 3 !!!)
  • Observatório das regiões em reestruturação
  • Observatório das artes e tradições
  • Observatório de festas e património
  • Observatório dos apoios educativos
  • Observatório da globalização
  • Observatório do endividamento dos consumidores (…serão da DECO ??)
  • Observatório do sul Europeu
  • Observatório europeu das relações profissionais
  • Observatório transfronteiriço Espanha-Portugal  (…o que é estes fazem ???)
  • Observatório europeu do racismo e xenofobia
  • Observatório para as crenças religiosas  (…gerido pelo Patriarcado com dinheiros públicos ???)
  • Observatório dos territórios rurais
  • Observatório dos mercados agrícolas
  • Observatório dos mercados rurais (…espetacular)
  • Observatório virtual da astrofísica
  • Observatório nacional dos sistemas multimunicipais e municipais (…valha-nos a virgem !!!)
  • Observatório da segurança rodoviária
  • Observatório das prisões portuguesas
  • Observatório nacional dos diabetes
  • Observatório de políticas de educação e de contextos educativos
  • Observatório ibérico do acompanhamento do problema da degradação dos povoamentos de sobreiro e azinheira (lol…lol…)
  • Observatório estatístico
  • Observatório dos tarifários e das telecomunicações (…este não existe!!! é mesmo tacho !!!)
  • Observatório da natureza
  • Observatório qualidade (…de quê??)
  • Observatório quantidade (…este deve observar a corrupção descarada)
  • Observatório da literatura e da literacia
  • Observatório nacional para o analfabetismo e iliteracia
  • Observatório da inteligência económica (hé! hé!! hé!!!)
  • Observatório para a integração de pessoas com deficiência
  • Observatório da competitividade e qualidade de vida
  • Observatório nacional das profissões de desporto
  • Observatório das ciências do 1º ciclo
  • Observatório das ciências do 2º ciclo (…será que a Troika mandou fechar os do 3º, 4º e 5º ciclos)
  • Observatório nacional da dança
  • Observatório da língua portuguesa
  • Observatório de entradas na vida activa
  • Observatório europeu do sul
  • Observatório de biologia e sociedade
  • Observatório sobre o racismo e intolerância
  • Observatório permanente das organizações escolares
  • Observatório médico
  • Observatório solar e heliosférico
  • Observatório do sistema de aviação civil (…o que é este gente fará ??)
  • Observatório da cidadania
  • Observatório da segurança nas profissões
  • Observatório da comunicação local(…e estes ???)
  • Observatório jornalismo electrónico e multimédia
  • Observatório urbano do eixo atlântico (…minha nossa senhora !!!)
  • Observatório robótico
  • Observatório permanente da segurança do Porto (…e se cada cidade fosse criado um !!!)
  • Observatório do fogo (…que raio de observação !!)
  • Observatório da comunicação (Obercom)
  • Observatório da qualidade do ar (…o Instituto de Meteorologia e Geofísica não faz já isto ???)
  • Observatório do centro de pensamento de política internacional
  • Observatório ambiental de teledetecção atmosférica e comunicações aeroespaciais (…este é bom !!! com o nosso desenvolvimento aero-espacial !!!)
  • Observatório europeu das PME
  • Observatório da restauração (…e se FOSSEMOS LÁ COMER…!!!)
  • Observatório de Timor Leste
  • Observatório de reumatologia
  • Observatório da censura (…MAS AINDA EXISTE???….!!!)
  • Observatório do design
  • Observatório da economia mundial
  • Observatório do mercado de arroz
  • Observatório da DGV
  • Observatório de neologismos do português europeu
  • Observatório para a educação sexual
  • Observatório para a reabilitação urbana
  • Observatório para a gestão de áreas protegidas
  • Observatório europeu da sismologia (…o Instituto de Meteorologia e Geofísica não faz isto também ???)
  • Observatório nacional das doenças reumáticas
  • Observatório da caça
  • Observatório da habitação
  • Observatório Alzheimer
  • Observatório magnético de Coimbra

ACABAR COM ESTES OBSERVATÓRIOS EM VEZ DE ESMAGAREM OS PORTUGUESES DE MATAREM O QUE RESTA DA NOSSA ECONOMIA…ACABEM COM ESTES OBSERVATÓRIOS, FUNDAÇÕES, ENTIDADES REGULADORAS ETC E TAL.

NÓS NÃO QUEREMOS PORTUGAL VENDIDO AO DESBARATO, PRIVATIZAR TUDO O QUE TEMOS, AINDA POR CIMA, PRIVATIZAÇÕES COMANDADAS POR ANTIGOS FUNCIONÁRIOS DA GOLDMAN SACHS E DO JP MORGAN !!!!!!

FORAM ELES QUE ARRUINARAM OS EUA, QUE ARRUINARAM A EUROPA E QUEREM VENDER O QUE RESTA DE PORTUGAL.

OS SEUS HOMENS TÊM ESSA MISSÃO!!!

Ratos atrás do queijo

Texto retirado de um comentário à notícia ““Não é verdade que a maioria dos portugueses esteja contra a austeridade””, publicada no Jornal de Negócios, por um leitor auto-intitulado XIZUM:

Não à austeridade cega!
A meu ver, o que está a acontecer na Europa do Euro é, simplesmente, um dos maiores logros de toda a história da humanidade e tem como consequência última a subjugação dos países mais fracos pelos mais fortes!

O excesso de divida só foi possível porque os lideres europeus deixaram que se acreditasse piamente que o facto de existir uma moeda comum pressupunha um risco soberano igual para todos os países pertencentes á moeda única. Isto fez desaparecer os limites naturais ao endividamento que cada país tinha quando possuía uma moeda própria. Só assim, foi possível acumular a divida que os países periféricos acumularam, porque, de outra forma, ninguém lhes teria emprestado dinheiro ao ponto de chegar aos actuais níveis de endividamento.

Agora que os ratos entraram na gaiola atrás do queijo, a porta fechou-se trás deles e só lhes resta permanecer no laboratório para que possam ser testadas as políticas macroeconómicas (a bem do progresso da ciência económica).

Em resumo, os verdadeiros culpados desta situação, são:
i) em primeira linha, os lideres europeus, que não só sabiam disto, como provocaram deliberadamente esta situação, tendo em vista conseguir a transferência de soberania dos países periféricos para o centro da Europa (o que está a suceder de forma acelerada)!
ii) O políticos locais porque ao endividarem-se sem limite, beneficiando lóbis e amigos que os haviam de reconduzir num próximo mandato, desempenharam, na perfeição, o papel do rato atrás do queijo!

Agora continuamos a correr atrás do queijo, dentro de uma gaiola cilíndrica, provocando mais recessão e sem nunca o conseguir alcançar!

A meu ver, a única solução possível, passa não pela desvalorização fiscal dos salários, já de si, os mais baixos da Europa, mas sim pela desvalorização das dívidas.

O que nós todos temos que exigir é que o BCE seja o Banco Central do Euro e não apenas da Alemanha! A desvalorização das dívidas, através do aumento da massa monetária em circulação é, quanto a mim, a única solução possível para a crise das dividas soberanas. Já está mais do que provado que a política de “casa roubada trancas à porta” não funciona!

Assim, sem prejuízo da implementação das regras necessárias para uma boa disciplina orçamental, a solução para o problema actual não está em Portugal e na austeridade. Está antes:

  1. Na política que o BCE venha a seguir nos próximos meses ( Inflação, precisa-se!)
  2. Na criminalização dos políticos prevaricadores (fazedores de auto-estradas, rotundas, polidesportivos e afins) para servirem de exemplo.
  3. Na eliminação da corrupção existente nos Órgãos do Estado
  4. Na melhoria da qualidade de gestão de serviços, empresas e organismos públicos (reduzindo o seu âmbito apenas ao que for estritamente necessário).

15 de Setembro de 2012 – O dia que o povo não vai esquecer

O povo saiu à rua!

Praça de Espanha

 

Uma semana depois do Primeiro-Ministro Pedro Manuel Mamede Passos Coelho ter admitido o falhanço na contenção da dívida pública e anunciado um aumento da contribuição para a Segurança Social por parte dos trabalhadores, ao mesmo tempo que a reduzia para os empregadores, o Povo Português quis mostrar a sua revolta, manifestando-se pacificamente nas ruas de mais de 20 cidades portuguesas.

Quem viu as duas manifestações diz que foi a maior manifestação desde o dia 1 de Maio de 1974, a primeira comemoração do Dia do Trabalhador depois da Revolução dos Cravos. Viram-se cravos na mão de várias pessoas no passado Sábado, mas não me posso esquecer das palavras de uma senhora para a RTP Informação “Não há cravos porque não há dinheiro!”.

Não me venha dizer que o Governo está a cumprir a vontade do povo e que essa vontade se exprime nas eleições… A vontade do povo pode-se exprimir de muitas formas, e as manifestações de Sábado passado são apenas uma forma. E que forma!

Dizem que, em Lisboa, foram mais de 500 mil manifestantes! Considerando que a população de Lisboa é de cerca de 550 mil, estiveram na rua mais de 90% da cidade e um quinto da população da área metropolitana, que não deixa de ser impressionante.

O povo revoltou-se contra o aumento da austeridade anunciada por Passos Coelho no dia 7 de Setembro. Ele falou de muitas coisas na generalidade e apenas particularizou no aumento da Taxa Social Única (TSU) paga pelos trabalhadores, ao mesmo tempo que anunciava a redução para os empregadores. Durante a semana toda foi criticado de forma inédita por patrões, sindicatos, trabalhadores não sindicalizados, partidos políticos, sábios, advogados, juízes, médicos, engenheiros, e outros. Apenas o Governo dá razão ao Governo.

Passos Coelho foi muito lesto a quantificar o aumento da contribuição por parte dos trabalhadores e muito lerdo a quantificar quanto iria cortar em fundações, parcerias publico-privadas (as famigeradas PPPs), gestores públicos, etc. Farta-se de apelar à poupança e aumenta a taxa de IRS a pagar pelos depósitos a prazo. Não quantifica quanto irá encaixar com a tributação dos imóveis de luxo, apenas diz que se consideram de luxo acima de um valor patrimonial de 1 milhão de euros. Em suma, gastou 20 minutos do nosso tempo, em horário nobre, apenas para dizer que irá afundar ainda mais a economia do nosso país. Esquece-se que existe um tecto de 5030 euros para a base da TSU, o que quer dizer que, quem tem mais que isso de salário ilíquido, apenas paga 11% sobre esse valor (António Mexia, às custas deste tecto, apenas pagou 7746,2 euros em 2011, quando teria de pagar cerca de 116.600 se não houvesse esse tecto). Ainda nos vem atirar areia para os olhos quando fala em equidade…

Faz isto antes de um jogo importante da Selecção Nacional de Futebol, provavelmente com a crença que o iríamos esquecer depois do jogo, principalmente se a Selecção ganhasse, o que veio a acontecer. Mas o povo não esqueceu.

O povo não esqueceu ainda de esperar por Paulo de Sacadura Cabral Portas, líder do CDS-PP, Ministro dos Negócios Estrangeiros e parceiro de coligação governamental, quando ele se resguardou no silêncio, e bem, enquanto se encontrava em visita oficial ao Brasil.

O povo não se esqueceu de Miguel Relvas, por muitos considerado o bobo deste Governo, não se conteve e desatou a comentar política interna no estrangeiro. Mais valia estar calado…

O povo não se esqueceu depois de Paulo Portas ter convocado uma reunião do Conselho Nacional do CDS-PP para este fim-de-semana, sugerindo de alguma forma que o Governo estaria em risco, por via do desconhecimento destas medidas por Paulo Portas.

O povo não se esqueceu, mesmo depois de assistir à entrevista concedida por Passos Coelho, na residência oficial do Primeiro-Ministro, em que foi dito mais do mesmo, ou seja, nada. Mais um rol de mentiras e meias verdades disfarçadas de patriotismo, a atentar contra a seriedade, dedicação e inteligência dos portugueses.

O povo não se esqueceu depois de observar o silêncio ensurdecedor do Presidente da República Aníbal António Cavaco Silva que se tem calado perante tal afronta aos direitos dos portugueses, não evitando bocas infelizes de não conseguir pagar as suas contas com a reforma que aufere.

O povo não se esqueceu das promessas do Governo, nas quais afirma que vai cortar as gorduras do Estado, mas que ainda não se sabem onde estão; as fundações de direito privado que pouco ou nenhum benefício trazem, as rendas atribuídas a empresas que não precisam delas, as PPPs rodoviárias, com taxas de rendibilidade baseadas em parâmetros fixos e mal explicados; os gastos com empresas públicas que cada vez mais cortam custos onde não devem, nos trabalhadores e aumentam preços dos serviços que fornecem ao público; os privilégios mal compreendidos dos gestores públicos, ministros, secretários de estado, assessores, etc; as nomeações para cargos público, muitas vezes feitas por afinidade partidária e familiar a pessoas que, salvo raras excepções, não reúnem nem experiência, nem competência para tais cargos e, ainda por cima, com salários muito acima da média nacional. Poderia continuar a especificar aqui gorduras do Estado, que toda a gente sabe que existem e apenas o Governo não as vê…

Paulo Portas continuou calado até à conclusão do dito Conselho Nacional para dizer que afinal não está de acordo com o aumento da TSU, mas não bloqueou a decisão para não bloquear as negociações com a Troika. Que grande coerência! Que grande hipócrita! Que grande cínico! Mentiu ao Povo português, mas acima de tudo (do ponto de vista dele), aos “credores internacionais” que tanto preza.

Para Sexta-feira próxima está agendada uma reunião do Conselho de Estado, o órgão consultivo do Presidente da República, que lhe vai dizer o que toda a gente sabe, mas que provavelmente vai entrar num dos ouvidos de Cavaco Silva, ser acelerado pelo vazio que se encontra na sua cabeça e sair pelo outro ouvido muito distorcido e mais rapidamente.

Agora é que começaram as negociações para tentar encontrar 2,5 mil milhões de euros, que devem ter desaparecida da contabilidade geral do Estado por obra e graça do Espírito Santo. Senhor Professor Doutor Vítor Louçã Rabaça Gaspar, Ministro das Finanças, eu digo-lhe onde foram parar esses 2,5 mil milhões: foram as quebras de receita do IVA que aumentou, somado aos subsídios de desemprego que aumentaram, que, por sinal também reduziu em valor individual, aliados aos gastos crescentes das PPPs (que vão aumentar até pelo menos até 2015-2020), aliados ao juros usurários que são cobrados pela Troika, e mais umas quantas parcelas que parece que faltam no seu ficheiro de Excel.

O povo não se vai esquecer de ficar atento ao dia 15 de Outubro, data em que tem que ser divulgado o Orçamento de Estado para 2013. Podem crer, pessoas do Governo, que nos lembraremos de protestar se continuar a política de espoliação do povo.