Conversa da treta

O inglês está na moda?

Já repararam como o inglês está na moda? Por todo o lado se ouve falar em run­ning, cycling, smart­phones, tablets, lap­tops… Nos cír­cu­los de pes­soas que usam cig­a­r­ros elec­tróni­cos é o cop­per, stain­less steel, brass, etc. Se é ver­dade que, para alguns dess­es ter­mos, o equiv­a­lente em por­tuguês não soa tão bem, nem é tão fácil de diz­er, como “tele­fones esper­tos”, “com­puta­dor de …

O inglês está na moda?Read More »

Agosto chegou em força…

Final­mente, Agos­to chegou em força… Não, não estou a falar do tem­po mete­o­rológi­co… Nota-se que é Agos­to pela rel­a­ti­va tran­quil­i­dade que se vive nestes dias nes­ta cidade. Com tan­ta gente de férias, Lis­boa, mes­mo durante a sem­ana, parece estar num fim-de-sem­ana extrema­mente lon­go. Quem pas­sa pela Aveni­da da Liber­dade repara, com certeza, nos reduzi­do número …

Agos­to chegou em força…Read More »

Condução desportiva…

Quem nun­ca fez, no seu car­ro, uma con­dução mais “desporti­va”? Acel­er­ações e trav­agens mais brus­cas, ou por neu­ra ou pelo sim­ples gozo de tirar par­tido da máquina que temos em nos­sas mãos? Ora, na pas­sa­da Sex­­ta-feira tive um vis­lum­bre dess­es… No com­boio a cam­in­ho de casa! Sim, leste bem, no com­boio! Acon­te­ceu quan­do a Lin­ha …

Con­dução desporti­va…Read More »

Crónica sobre uma crónica

Hoje con­segui uma cópia do jor­nal Metro, curiosa­mente, no Metro… Sim, eu sei que não é uma grande novi­dade, mas nem sem­pre con­si­go uma cópia. Mas estas lin­has não são sobre o jor­nal. São sobre a cróni­ca do José Cabral que é pub­li­ca­da, nor­mal­mente, na pági­na 2. A cróni­ca de hoje foca-se num objec­to que …

Cróni­ca sobre uma cróni­caRead More »

Transportes públicos

Há umas sem­anas fui obri­ga­do a andar de trans­portes públi­cos. Já há muito que não o fazia… Con­fes­so que não ten­ho saudades das, ago­ra maiores, lon­gas cam­in­hadas, mas não pos­so diz­er que não gos­to, no ger­al. Nos trans­portes públi­cos pode-se ler, jor­nais, livros, nave­g­ar na Inter­net, ouvir músi­ca, que nos iso­la quase por com­ple­to do …

Trans­portes públi­cosRead More »

Esperteza saloia”

O por­tuguês típi­co é esper­to. Em Abril de 2009, a revista Cracked pub­li­cou uma lista de 10 palavras não ingle­sas que fazi­am fal­ta ao inglês. Uma delas foi “desen­ras­canço”. O “desen­ras­canço” é uma qual­i­dade tipi­ca­mente por­tugue­sa. O por­tuguês típi­co socorre-se fre­quente­mente des­ta qual­i­dade para sair de situ­ações difí­ceis, embaraçosas e não triv­i­ais. Mas existe uma …

Esperteza saloia”Read More »

Acordo ortográfico, explicado por um moçambicano…

Um mail que me enviaram que dedi­co aos meus ami­gos moçam­bi­canos: «Eh Oena, Lhe Can, Nós aqui em Moçam­bique sabe­mos que os mulun­gos de Lis­boa fiz­er­am um acor­do ortográ­fi­co com aque­le tocoloc­ma do Brasil que tem nome de peixe. A min­ha respos­ta é: naila. Os mulun­gos não pensem que chegam aqui e buis­sa saguate sem milan­do, porque pen­sam …

Acor­do ortográ­fi­co, expli­ca­do por um moçam­bi­cano…Read More »

O “gajo da Informática”

[A]qui está um arti­go que par­til­haram comi­go na Face­book e que que­ria par­til­har aqui neste blog pois espel­ha exac­ta­mente o que, por vezes, ten­to diz­er às pes­soas que não são infor­máti­cos. O GAJO DA INFORMÁTICA dorme. Pode pare­cer men­ti­ra, mas O GAJO DA INFORMÁTICA pre­cisa de dormir e des­cansar como qual­quer out­ra pes­soa. Esqueça que ele …

O “gajo da Infor­máti­ca”Read More »

Lembradura

Lem­brei-me ago­ra de escr­ev­er estas lin­has a par­tir do meu iPod Touch… É a primeira vez que estou a exper­i­men­tar uma apli­caçãozi­ta que “com­prei” na iTunes Store. Digo “com­prei” porque é uma apli­cação gra­tui­ta, chama­da muito apro­pri­ada­mente Word­Press. Já noto uma lim­i­tação: não dá para mudar o esti­lo do tex­to (pôr bold, itáli­co, etc…)

30 anos de Oxygène

Saiu no fim do mês de Novem­bro o últi­mo álbum do fab­u­loso Jean Michel Jarre. Tra­­ta-se de uma reed­ição com­ple­ta do álbum mais mar­cante da sua car­reira: Oxygène. Quan­do digo uma reed­ição com­ple­ta, quero diz­er que o álbum foi grava­do de novo, como se nun­ca tivesse exis­ti­do. Ain­da não o ouvi e, por isso, não …

30 anos de OxygèneRead More »